Crianças tem medo do escuro e de monstros debaixo da cama, mas não tem medo de perguntar para um estranho onde fica a sorveteria.  Se formos colocar em comparação, os adultos permanecem com algumas características das crianças. Nós adultos também temos medo de uma rua escura e de ladrões que invadem casas a noite, mas enfrentamos qualquer coisa para chegar ao nosso objetivo. Nesse texto vou mostrar por que você deve alimentar sua criança interior. Porque acredite, ela está aí!

O Dia das Crianças é só mais um feriado?

O Dia das Crianças sempre foi mágico! Cheio de alegria, pipoca, doces e brincadeiras. Mas quando começamos a pagar boleto, logo esquecemos essa magia. Afinal, seus pais não te dão mais presente faz muito tempo, a dieta não vai nada bem e as crianças hoje em dia só pensam em celular. Diferente de quando são pequenos, os adultos anseiam apenas pelo feriado, um dia a mais em casa, sem ter que trabalhar. Mas não deveria ser assim! Tampouco deveríamos julgar as crianças dessa forma.

Se você tem uma criança em seu círculo social (irmão, primo, sobrinho, afilhado ou o que for), aproveite o Dia das Crianças! Sugiro levá-la em um lugar divertido, colorido. Ou comprar doces, talvez um brinquedo para brincarem junto. Ou ainda ir ao parque, jogarem bola e correr pela grama. Quando foi que paramos de aproveitar esses momentos? Eu acho que a gente não parou de gostar, só… deixamos passar. A rotina é tão corrida que o final de semana passa inteiro no sofá. Parece que não dá tempo de planejar esses momentos com antecedência nem pra você, imagina para uma tal de criança interior.

Veja bem, para uma criança planejamento não é a questão. Eles são imediatistas e sonhadores. Se você falar para uma criança que ela vai ao parque no domingo, então é nisso que ela vai pensar a semana toda. Talvez ela perca o foco, se distraia com outra coisa. Mas em algum momento ela vai lembrar que você ia levá-la ao parque.

Ser sonhador não é a única qualidade de uma criança. Existem muitas outras que infelizmente perdemos com a maturidade. Mas está tudo bem. Eu fiz esse post exatamente para te lembrar quais são essas qualidades, explicar porque e como manter a criança interior sempre serelepe.

Não é criancice, tá?!

Não é criancice

Por acaso já viu aquele tiozão com roupas de adolescente? Ou conhece alguém na sua antiga turma do colégio que, mesmo anos depois, permanece com as mesmas atitudes de criança? Essas são algumas situações em que você para e pensa “será que ele um dia vai crescer?”. As atitudes simplesmente não condizem com a idade. Parece que ele não quer mudar seu jeito para não encarar a realidade. Talvez esteja apenas fazendo papel de julgadora e esse não é o objetivo. 

Não tem como lutarmos contra a maré da maturidade. Mas com certeza você já se deparou com uma situação onde tudo o que queria era o colo da mãe. A gente sente falta de ser criança, sem preocupações… Até em coisas simples como ficar doente. Se você mora sozinho e sua mãe não está perto para te dar remédio e fazer a famosa sopinha de “sara logo”, adivinha o que acontece? Você mesmo tem que fazer! Que absurdo. Alguém escutou que ESTOU DOENTE?! Não tem como levantar, como me mexer! Aimeudeus eu não vou sarar sem a sopinha… MÃE?!

Viu só como é fácil querer voltar a ser criança? Passou o drama, você levanta, toma remédio e percebe que foi só a mudança de tempo que te deixou com uma leve dor de garganta. Essa criancice não tem nada a ver com os motivos que eu vou te dar para alimentar a criança interior. Inclusive, não pense nesses motivos como clichês ou criancices. Eles não vão te fazer ter qualquer sintoma da Síndrome do Peter Pan. Pelo contrário, te farão ser um adulto bem melhor.

5 motivos para alimentar sua criança interior!

1. Desapegar dos padrões e regras sociais

Desapegar

Eu era uma criança que adorava dançar. Se tocava uma música eu já começava meu remelexo. Não me orgulho disso, mas até maquiava minha avó e bisavó para fazê-las dançar É o Tchan (isso mesmo, nem a Bisa se salvou). Para deixar ainda pior, eu falava “Não, Vó! Tem que colocar a mão no joelho!”.

No entanto, eu cresci e em algum momento da vida fiquei com vergonha. Eu simplesmente anulei isso da minha vida. Coloquei na cabeça que todos iam rir ou me zoar. Eu até ia em festas e sabia a coreografia das músicas, mas ficava quietinha no canto, passando vontade de dançar. No final da festa, sempre me perguntava se poderia ter aproveitado mais.

Quando era criança não me preocupava com vergonha e tampouco em arrebentar as costas das idosas. Eu só queria dançar! E foi por deixar de racionalizar e só seguir minha vontade que hoje tenho uma boa história para contar. Afinal, eu fiz duas idosas aprenderem a coreografia da boquinha da garrafa.

Então a primeira coisa que você deve fazer para alimentar sua criança interior é: desapegar dos padrões e das regras.

Comer sobremesa antes do almoço, ter um chaveiro da Barbie, correr desenfreadamente no parque, cantar no meio do shopping como se sua vida fosse um musical. Desapegue um pouco das regras e permita-se se divertir com o que desejar. Vai parecer estranho? Talvez para os outros, para você pode ser divertido!

Procure se divertir até com coisas pequenas, isso te ajudará a passar por momentos difíceis, tensos ou de grande stress. É um exercício para a mente procurar sempre o lado bom das coisas. A longo prazo essa skill pode ser um diferencial, pois te torna uma pessoa versátil e capaz de se virar muito bem em situações de crise.

2. Ser um pouco mais sincero com você

Seja sincero com você mesmo

Como você já sabe, crianças não tem papas na língua. Inclusive, o site Frases de Criança prova exatamente isso. Elas falam o que estão pensando e deixam claro seus sentimentos. Fala a verdade, com a gente nem sempre é assim. Mesmo quando estamos morrendo de vontade de mandar mensagem pro crush, ainda assim esperamos mais um dia para não parecer desespero. Se algum amigo faz algo que nos deixa mal, preferimos não falar para não discutir. Se estamos tristes, escondemos tudo por trás de um sorriso e um “está tudo bem”.

Essa nossa mania em esconder sentimentos não é nada legal. Faz mal pra saúde mental, causa doenças e é péssimo para a olheira, amiga! Então trate de mudar essa sua mania. Não guarde o blablablá só para o terapeuta.

Imagina se fizéssemos igual as crianças? Falar o que sentimos, demonstrar carinho, responder as pessoas, dar atenção quando o outro fala. Tudo isso é importante para que você não fique um adulto isolado do mundo. Dê oportunidade para o outro te conhecer, interagir, socializar. Cuidado que muita frieza deixa nosso coração gelado, como a Elza da Frozen já mostrou.

Com respeito e carinho, experimente não reprimir sua sinceridade. Se sua amiga perguntar que roupa ela deve usar, pergunte qual ela mais gosta, ajude-a e se sentir linda. Não diga apenas “essa ficou horrível”, se envolva com o momento dela. Se alguém aparecer e aparentar estar imensamente feliz, comente com ele! Fale que é bom vê-lo naquele estado.

A gente gosta tanto de fotos espontâneas, por que não levar a espontaneidade da criança para nossa vida adulta? Pare de reprimir suas vontades e sentimentos. Deixe a ingenuidade da sua criança interior se manifestar. Ela pode te levar para novas aventuras.

3. Ter energia infinita 

Energia infinita

As crianças têm uma energia que nunca acaba. Os pais que o digam, né? É um tal de corre pra lá, tira o dedo da tomada, não come isso, põe os lápis no lugar, não risca o sofá, cantarola musiquinha da escola, toma chá da tarde com as bonecas, tô com fome, não quero mais… uma correria sem fim! Aff, deve cansar tanto ser pai/mãe/avó que dança…

Mas se for pensar bem, a nossa rotina também é bem corrida, não é? A gente quase não tem tempo pra nada! E não são apenas os afazeres que nos cansam. As responsabilidades que pesam, as situações que estressam, a frustração de um café frio. Tudo isso contribui para deixar o dia mais cansativo. Mas não deixe que esse sentimento te consuma. Por favor, não seja um velho rabugento de 24 anos.

Você provavelmente já viu alguém comentar que “tem alma de velho” ou “faz tal coisa porque é uma velha presa em um corpo jovem”. Ah, eles erraram… erraram feio! Mas a criança interior deles não sumiu, apenas está escondida embaixo de um mundo de responsabilidades e reclamações.

A cura para essa velhice sabe qual é? Manter sua criança interior bem e feliz! É ela quem pode te ajudar a ter energia pro dia inteiro. Imagina chegar o fim do dia e você ainda ter pique pro happy hour? Levantar cedo e conseguir tomar café da manhã ao invés de se arrastar da cama direto pro trabalho? Ter energia para trocar a sessão Netflix por um passeio no parque?

Chega de brincar de esconde-esconde com sua criança interior. Deixe ela colocar um pouco de agito na sua vida!

4. Ser extremamente curioso

Seja curioso

Crianças são curiosas com tudo. Com tu-do! Quando eu era adolescente, odiava que mexiam nas minhas coisas. Então, toda vez que meus priminhos iam em casa, eu saía trancando as portas, escondendo meus jogos, colocando em cima do armário tudo que fosse quebrável. Eu tratava a situação muito seriamente, parecia uma preparação para a guerra.

Coitados, não era culpa deles! Eles se encantavam pelo papai noel que ficava no globo de vidro, envolto em neve. E por todas as outras coisas que brilhavam, faziam barulho ou tinham botões. Não satisfeitos em tocar, eles perguntavam para o que serviam as coisas, como fazia pra ligar e desligar, como usava. Se você virava um minuto, já tinham colocado na boca para saber o gosto.

Com os adultos é diferente. Muitos fingem que sabem das coisas, se fecham em seu mundo com um atitude blasé e às vezes preguiça até da resposta do “tudo bom?”. Em contrapartida, a curiosidade da criança a permite estar sempre alerta, sempre disposta a aprender coisas novas. E por que não podemos ser assim também? A curiosidade fomenta nossos interesses, dá luz às nossas dúvidas e acelera nosso aprendizado.

Então sugiro que, quando for convidar sua criança interior para uma visita, não se prepare para a guerra. Dê na sua mão as coisas que você vê todo dia e espere para ver o que ela vai dizer de cada uma. Talvez você se surpreenda com a pergunta.

5. Manter-se criativo

Mantenha-se criativo

Já vi uma caixinha de fósforo virar um ônibus, com cada palitinho sendo um passageiro. Já vi também a mesa do café da tarde virar um reino, com a jarra de suco fazendo o papel de castelo, os copos as casas e a comida representando as grandes plantações… uai, plantação de bolo de cenoura, por que não?

A criatividade é uma qualidade que toda criança tem. O dia a dia cheio de cor, desenho, estímulo, experiências novas… tudo isso faz com que a criança seja criativa para tudo! Seja para brincar ou até para criar perguntas cabeludas para os pais.

Você, marmota adulta, responsável, dona de si… é uma pessoa criativa? Pois te afirmo que é, sim Sr(a)! Se você discorda, é porque, mais uma vez, deixou a criança aí dentro escondida. Acredito que tudo que falei até aqui vai fazer você pensar em meios de chamar essa criança aí pra brincar.

Alimentando as crianças com amor

Dia das Crianças

Eu te dei bons motivos para alimentar a criança interior, vai?! Para poder se permitir, se valorizar e evoluir. Agora pedirei algo em troca. Vamos alimentar uma criança com amor?

Para o Dia das Crianças, meu boss, o Osmar, criou uma campanha muito legal. No dia 20 de Outubro, a gente vai levar comidinhas até o projeto Favor de Deus – 5 breads 2 fishes! Além de marmôs, vamos levar bolachas, salgadinhos, doces, sucos e demais coisas que criança gosta.

Para ajudar basta comprar o “prato” Marmô do Amô, disponível em nosso site! Comprando esse “prato” você doa R$20,00 para alimentar as crianças do projeto.

Ah! E se quiser ir junto com a gente, está mais do que convidado! O projeto fica localizado na favela do Paraisópolis, tem 2 anos de existência e já passaram por lá 500 crianças. Hoje conta com 130 crianças inscritas.

Quer ajudar? Clique na imagem abaixo e compre a sua Marmô do Amô! 😉

criança interior

Leave a Response